quinta-feira, 22 de julho de 2010

Dois livros e um filme

Até terça-feira estava fazendo muito, mas muito frio aqui em São Paulo capital e região metropolitana. Então não havia muito o que fazer se não ficar embaixo das cobertas lendo. O problema é que o frio estava tanto que as mãos que ficavam fora do cobertor segurando o livro ficavam frias. Mas tudo bem, ainda bem que o tempo esquentou um pouco. Mas nesse interím, li dois livros e vi um filme que merecem um destaque nesse humilde blog de poucos leitores.

O primeiro dos livros foi A Metamorfose de Franz Kafka. Era um livro e um autor totalmente desconhecidos por mim, mas a leitura, rápida e intensa, fez eu me interessar por outras obras deste autor. Em A Metamorfose, o protagonista acorda na forma de um inseto. Porém, sua mudança foi apenas física, pois mentalmente ele continua com as mesmas preocupações em relação ao trabalho e sua família e totalmente consciente de sua condição, que apesar de dificultar seus movimentos, não se limita em continuar na cama. Tenta se levantar, se trocar e ter um dia normal. A mudança significativa, porém, vem da parte de sua família que, em sua nova forma, não o vêem mais como filho e irmão. A família o vê, simplesmente, como um animal asqueroso. Impossibilitado de se comunicar, o protagonista é mantido todo o tempo em seu quarto, longe dos olhos de todos e, progressivamente, esquecido e deixado de lado.

Não se trata de uma história complexa, com vários personagens, eventos, drama e mistério. Mas é uma narrativa que ao final ficamos perplexo, pensativos, como se tivéssemos sido golpeados no estômago. Se no começo, nós, leitores, assim como a família, sentimos nojo da sua aparência asquerosa e de suas patinhas que se mexiam compulsoriamente; do meio para o final, o que sentimos é pena. Dó. Muita dó.

O segundo livro foi Memórias Póstumas de Brás Cubas do Machado de Assis. Era um livro que há muito tempo eu carregava o compromisso de ler. Depois de Dom Casmurro, Machado de Assis me encantou e meu namorado fazia uma super propaganda de Memórias Póstumas dizendo que era tão bom que achou melhor que Dom Casmurro. Enfim, não me decepcionei. MA-RA-VI-LHO-SO.

Tudo o que eu tinha ouvido falar antes sobre Memórias foi sobre o romance entre Brás Cubas e Marcela, então achava que todo o livro se resumia a isso. Mas não, o que Brás Cubas vive com Virgília é muitíssimo mais intenso. Além do mais, na primeira vez que fui ler o livro, as inúmeras referências a obras clássicas e suas metáforas, me desanimaram a continuar a leitura. No entanto, desta vez li tudo; compreendi muito bem a história, mas o livro inteiro não. Diria que uns 80% compreendi bem. As interrupções na narrativa também são muito bacanas, originais que não se encontram em nenhum outro lugar. Ás vezes, é verdade, parece que Machado está gozando da nossa cara, mas tudo bem, a leitura não se torna menos divertida por causa disso, pelo contrário, faz a gente se interessar ainda mais.

Já o filme eu assisti com meu namorado depois de ele ter insistido muito e até ameaçado a vê-lo sozinho. O filme é muitíssimo bom. Scarface foi feito nos anos 80 tendo Al Pacino como protagonista. Só um detalhe: depois de ter assistido O Poderoso Chefão II, Al Pacino se tornou um dos meus atores favoritos.O cenário é muito bacana! As roupas, as discotecas, tudo faz lembrar GTA Vice City. O que não é a toa, já que o jogo foi inspirado no filme; as semelhanças são tantas que chega até aos nomes dos personagens. Logo no começo Tony Montana, um "refugiado político" cubano em Miami sem visto, é cativante quando diz que mata um comunista por diversão e por um greencard o faz em pedaços. Depois disso, gradativamente, Tony Montana vai se envolvendo com o tráfico de drogas e tendo contatos com os poderosos do narcotráfico. Seu passado, mesmo em Cuba, já era de criminoso, mas ele usa, inapropriadamente, o termo "refugiado político". É um filme bom, ele também denuncia os políticos e policiais corruptos que se envolvem com o narcotráfico à base de propinas. Recomendo à todos - que não sejam comunistas e não sintam amizade por Fidel.

"Say hello to my little friend!"

7 comentários:

Marília Maia disse...

Oi Gi! Tudo bem? Espero que sim...

Faz um tempão que não comento aqui... Visitei algumas vezes... Mas, hoje, que estou com mais tempo de ler e comentar com mais calma, me senti a vontade para comentar o teu post mais recente. E diga-se de passagem, não foge ao que já li de outros posts...
Os detalhes que vc descreve de cada livro e filme (sendo que vejo vc comentar mais sobre livros) é fascinante... Dá vontade de ler também, de mergulhar nessas mesmas histórias que vc em uma noite passeia e se alegra em ler e examinar detalhes que, as vezes, muitos leitores passam despercebidos. Como em:

"Ás vezes, é verdade, parece que Machado está gozando da nossa cara, mas tudo bem, a leitura não se torna menos divertida por causa disso, pelo contrário, faz a gente se interessar ainda mais."

Acho que esse é um dos principais objetivos dos escritores, provocar no leitor a sensação de que ele está sendo: gozado, ludibriado, encatado ou algo do tipo, para poder prender sua atenção.

Sinto-me a vontade em visitar o teu blog, pois me dá a sensação que a todo momento temos algo a aprender, a aproveitar, como ler livros e depois escrever o que vc entendeu deles. Tal como vc já deixou claro em outros momentos...

bjs

:)

Don Allan disse...

É uma injustiça Al Pacino não ter ganho Oscar para este filme...ou mesmo este filme não ter sido premiado ou nem indicado. É simplesmente um clássico !

E vou ler este livro do mano inseto =)

Gabi disse...

Eu nunca li A Metamorfose no original mesmo, deve ser super interessante! Uma vez a professora de portugues do colégio passou pra gente uma versão do livro em quadrinhos. É bem interessante também, já que brinca com linguagens diferentes. Se você quiser emprestado para dar uma olhadinha, é só me avisar, ok?

Quanto ao Memórias, esse livro é ótimo! Machado, em geral, é ótimo! Eu tenho uma edição super velhinha que era da minha mãe aqui em casa...uma vez, quando era bem mais novinha, tentei ler, mas não deu certo. Eu não entendia nada e resolvi parar. Depois, já mais velha, retomei e achei maravilhoso! Agora, mais velha ainda, quero reler e ver quais serão minhas novas impressões e opiniões sobre o livro.

Recado para o Allan: estou com o box d'O Poderoso Chefão aqui em casa e me lembrei de você :P

Beijão!

CA Ribeiro Neto disse...

Gi, o Fabio Paulino saiu do Blogs de Quinta! Por favor, atualizar a lista de acordo com a da comunidade ou com a do meu blog.

beijos

Thiago César disse...

se nao me engano o Otto pegou uma frase do começo desse "A Metamorfose" pra dar nome ao novo CD dele: "Certa manhã acordei de sonhos intranquilos"... me corrija se eu estiver errado!

Memórias Póstumas de Brás Cubas tem aki em casa faz eh tempo, assim como outros classicos de autores variados, mas eu nunca li, apesar de ouvir muito falar...

Scarface eh foda! Assisti esse filme a um tempo atrás, e pra mim foi o melhor papel do Al Pacino que vi até hj, mesmo tendo assistido a trilogia do Poderoso Chefão. esse filme na verdade é uma nova versão do clássico da década de 30 com o mesmo nome.

Gabi disse...

Entrei no blog que me passou...
Nossa! As fotos estão lindas!!!
Aumenta mesmo a vontade de ir pra lá!
É lindo!
Será que o Natalino já foi pra lá? hehehehe!
Beijão!!

CA Ribeiro Neto disse...

Kafka está entre os escritores que quero ler, mas antes dele ainda tem Cervantes e Camões...

Machado é rei, ainda quero ler também Memórias Póstumas de Brás Cubas...

O filme, não conheço, mas gostaria de assistir!

E um namorado desses que indica bons livros, pessoa de sorte! Não me aparece uma versão feminia assim! heurheurheruheurh


beijos