terça-feira, 9 de março de 2010

Gomorra

Minha ausência no blog superou minhas expectativas. Vontade não faltava, mas tempo sim. Meu final de férias foi turbulento, mas, não sei dizer se felizmente, passou. Agora tenho um namorado também uspiano e uma felicidade (?) por ter começado as aulas. Por mais que aquele departamento me traz muitas angústias, não tinha percebido o quanto sentia falta daquela situação doentia de ter que ler de 150 a 200 páginas por semana.

Eu adoraria inaugurar o retorno de minhas férias bloguista transcrevendo um pouco da minha aula de História Antiga, mas já faz alguns meses que prometi a mim mesma sempre escrever, pelo menos um pouco, sobre os livros que li. Simplesmente para não esquecer que o li! É engraçado, mas quando temto lembrar das minhas leituras do início da minha adolescência, é com dificuldade que faço uma lista de meia dúzia de livros, e eu sei que foi muito mais que isso! Não vale dizer Harry Potter todas as vezes. Mas a memória falha nessas horas e só volta a funcionar quando vejo o livro, e aí sim eu posso dizer "Esse livro eu li!"

O último livro que li, já faz uns 15 dias, foi Gomorra. Perfeito. O que posso dizer dele é que dá um senso de realidade. Através da leitura, ele nos leva ao outro lado do capitalismo. Não é mais aquela parte teórica e distante que vemos na escola. Mais-valia, monopólio, exploração., proletariado e blá blá blá. Tudo parece ter algum sentido, mas uma sensação de "Tá, e daí? Existe o welfare state." não vai embora. Gomorra mostra a parte suja, nojenta, e dá uma ideia concreta do capitalismo contemporâneo.

O livro, escrito pelo jornalista Roberto Saviano, revela a realidade da Máfia Napolitana - mais conhecida como Camorra. Gomorra, que está na Bíblia, foi uma cidade dizimada pela ira divina por ter se consumado por todos os tipos de pecado. A sonoridade foi uma brincadeira utilizada por Saviano em homenagem a um Padre que foi morto pelos clãs e em cujo enterro seu amigo de infância teria lido a passagem da Bíblia em que narra a destruição de Gomorra se não fosse um sentimento de medo que o afrontou.

Não é mais aquele D-M-D' de Marx. Junta-se a essa formulazinha o sangue derramado dos jovens italianos envolvidos com os clãs, a situação de semi-escravidão dos trabalhadores chineses, tráfico de armas, as novas drogas testadas em viciados que não tem mais dinheiro e se sujeitam à todo tipo de experimentos, ao despejo irregular de todo o qualquer tipo de lixo, etc. Não é só uma forma compulsório de obter sempre e mais lucro, é também degradante.

É recomendado aos meus colegas de departamento. Eles não farão uma revolução defendendo os funcionários do SINTUSP e nem fazendo inúmeras greves contra o ensino à distância. Nem preciso dizer então, que farão isso usando maconha e usando uma camiseta do Che Guevara. Para mim, Roberto Saviano sim, foi um grande revolucionário.

7 comentários:

Don Allan disse...

De fato, Gomorra é um dos melhores livros que eu já li ! Saviano (Faviano ? ) consegue transmitir o que quer de uma forma muito boa de se ler...

ps. Eu que recomendei =pp

Thiago César disse...

assisti o filme, nao sou muito de ler... com certeza o livro tem muito mais conteudo, mas o filme tb eh muito bom!

Marília Maia disse...

Vixe deve ser legal, tanto o filme como o livro, só que claro o livro em sua maioria é mais emocionante...

texto bom...
;)

Mehazael disse...

Eu não posso falar nada sobre o livro, mas tive sentimentos mistos a respeito do filme. Como filme, eu achei mt chato, mas pela parte sócio-histórico-cultural, achei mt interessante mesmo, pelas coisas q mostra e td q tu falou (nao vou dizer aqui pra ser repetitivo...).
Mas valeu a dica, eu estava pensando em ler o livro mesmo, esperando pra ve se eh melhor q o filme mesmo.
E boa sorte com as aulas e com o namoro. Não sei qual dos dois vai ser mais difícil de levar :P

Gi disse...

só é dificil de levar o que te faz infeliz.

não é o meu caso.

CA Ribeiro Neto disse...

Não conheço o livro nem o filme. Mas deve ser interessante mesmo essa análise.

Revolucionários são complicados... não há prerrequisito para sê-los...

Paulo Henrique Passos disse...

Também não conheço o livro nem o filme, mas são sempre muito empolgantes essas tuas indicaçoes que tu faz no teu blog. Ah se sobrasse tempo pra ler algo extra... quase que certamente seria um desses que tu já falou. Talvez nas férias