terça-feira, 12 de maio de 2009

Earth From Above

Primeiramente, gostaria de agradecer ao convite do Carlinhos para participar dos Blog's de Quinta. Antes eu achava que o único leitor e comentador do meu blog seria meu namorado, e só por insistência minha. Não achava que entraria num grupo de blogueiros. Espero que isso seja uma chance de crescer em conjunto...

Eu tenho a sorte de, de vez enquando, achar um bom documentário na TV. Documentários são difíceis, porque a maioria não está nas locadoras na estante de lançamentos e na internet, pelo menos para mim, é um pouco difícil achar legendas. Mas, pela segunda vez, eu estava mudando de canal e encontro um bom documentário passando na HBO. O primeiro, há alguns anos, se chamava "A Corporação" e fazia uma denúncia as grandes corporações mundiais atravez de um perfil psicológico, mostrando como essas empresas têm um caráter psicopata, se bem me recordo.

Dessa vez, o documentário é "A Terra Vista de Cima" ou "Earth from Above" (se alguém encontrar um site específico sobre o filme com mais informações eu ficaria grata), que é dividido em quatro episódios. O primeiro foi o que eu encontrei acidentalmente e trata da biodiversidade do planeta e como esta está se extinguindo nas mãos do homem. Não sou ambientalista, nem estudo o assunto a sério, mas faço meu dever de casa ao economizar água e separar o lixo orgânico de reciclável, entre outros. Apesar disso, eu me comovo ao ver a destruição do planeta, é algo com o qual eu fico muito chateada.

Pelo que pude descobrir sobre o documentário é que seu diretor, Yann Arthus Bertrand, tira fotos do planeta de cima, criando imagens que dificilmente acreditamos ser da Terra. Tanto que na maior parte do filme, ele está com uma máquina fotográfica na mão dentro de um helicóptero.

Durante todo o filme, ele mostra diferentes partes do globo, expõe os fatos e os problemas e obtém o depoimento de pessoas vítimas dessas situações problemáticas ambientais ou de ativistas engajados nessas causas. Mas, o que mais me impressionou depois da imagem do urso polar desnutrido morrendo de fome com a pele sobre os ossos, foi a situação de uma floresta da Austrália cujas árvores possuem mais de mil anos e cujos troncos são tão grandes e largos que os aborígenes viviam dentro deles. O que está acontecendo lá é uma guerra cuja vítima é a biodiversidade. São jogados pelos helicópteros bombas de napalm que fazem a floresta pegar fogo e quando a madeira está seca, as empresas a recolhem para a fabricação de papel e plantam novas árvores que não são nativas daquela região, mas sim cujos troncos cabem perfeitamente em suas máquinas. Como se não pudesse ficar pior, para os animais que sobrevivem aos bombardeios não comerem suas novas árvores, eles implantam um veneno criado pelos nazistas (que agora não me recordo qual) para envenenar os animais que acabam também por disseminar esse mesmo veneno atraves das águas. As imagens das bombas caindo nos faz lembrar de imagens de filme de guerra. Talvez vivemos numa terceira guerra mundial, um pouco mais escondida, mas tão mortal quanto as duas primeiras; afinal, destruir o planeta não é a forma mais inteligente de preservar a vida.

O episódio de ontem foi sobre a água... E em ambos os episódios descobri coisas sobre o Brasil, em termos ambientais, que nem fazia ideia. Farei o máximo para ver os próximos capítulos. Para quem quiser saber mais do trabalho deste espetacular fotógrafo, aqui está seu site. Vale a pena conferir só pelas fotos.

6 comentários:

allan_leonheart disse...

Que coisas horriveis !

E tudo isso por causa de poder e dinheiro. Parece cliche falar isso, mas de fato são esses os motivos.O pior é que o estado, que deveria proibir tais coisas, preservando o meio ambiente, não age, cabendo a organizações não gorvernamentais, com menos poder de atuação, a agir.De fato, no estado está "infiltrado" pessoas dessas corporações que impedem alguma ação efetiva.



* Eu comento no seu blog por gosto, e não por insistência sua. Maguou! =(

C. A. Ribeiro Neto disse...

Primeiramente, dizer um "por nada", nós que participamos do Blogs de Quinta sempre relatamos como crescemos junto com os outros! Aparentemente ficará postando também fora da quinta, certo? Se for, não há problema nisso! hehehe

Quanto aos documentários, só tenho tv aberta, então não conheço esses que falas, só os que passa de vez em quando na tv cultura.

Acho que se não estamos na terceira guerra mundial, é por falta de formalidade. Lembrando que as duas guerras passadas foram num tempo em que tudo era dual, tinha que existir o que era bom e o que era mau, diferente de como tratamos isso agora, onde não se sabe quem é o inimigo, atacando todos os lados...

Hermes disse...

Bem vinda Gi, e bom, já ouvi falar desse documentário mas nunca cheguei a vê-lo. Não vou me estender no comentário porque não precisa...só preciso dizer uma coisa: por que vivemos em uma terceira guerra mundial? Por causa de ganancia e ansia de ter mais e mais dinheiro. E o segundo documentário é totalmente ligado ao primeiro...grandes corporações destroem.

Andréa Gurgel disse...

Bem vinda Gi! É bom ver a trupe de quinta crescendo!

Posso resumi tudo que você me disse em uma palavra: CONCORDO!

Exceto pela parte do documentário... esse eu vou atrás de baixar na net! \o/

Andréa Gurgel disse...

p.s.: não era pra ter aparecido Andrea Gurgel!

Meu nome é pedro Gurgel... ¬¬ o dono da casa dos acasos

Monte disse...

Já tinha ouvido falar sobre esse documentário(The Corporation). Hermes não sei se vivemos na terceira guerra mundia AINDA, creio se isso for acontecer vai ser mais ligado a questão da Palestina, Israel etc, essa briga pela terra, onde antes judeus eram perseguidos e agora é a vez dos palestinos. Bem do uma dica de um documentário bem legal de assisitir : Surplus - Terrorized Into Being Consumers. Pelo titulo é facil perceber sobre oq se fala, a alta produção e consumo desenfreado.